Notícias

7

mar

07 de Março – Santas Perpétua e Felicidade – Mártires do segundo século

Numa perseguição que se desencadeou em Cartago, foram presos nesta cidade cinco catecúmenos, entre os quais uma escrava chamada Felicidade e uma mulher, ainda nova e de posição, chamada Perpétua. A primeira estava grávida de oito meses e a segunda tinha uma criança de peito. Receberam o batismo enquanto estavam presas.

Permitiram a Perpétua que levasse consigo o filho para o cárcere. Chegado o interrogatório, ambas confessaram abertamente a fé e foram condenadas a ser lançadas às feras no aniversário do imperador Geta. A mãe foi então separada do seu filhinho. “Deus permitiu que ele não voltasse a pedir o peito e que ela não fosse mais atormentada com o leite”, escreveu Perpétua no diário que foi fazendo até o dia da sua morte. Narra em seguida uma visão em que lhe apareceu seu irmão Dinócrates, ao sair do Purgatório graças às suas orações, e outra em que lhe foi prometida a assistência divina no último combate.

Felicidade receava que, devido ao seu estado, não lhe permitissem morrer com a companheira, mas, três dias antes dos espetáculos públicos, deu à luz. Como as dores do parto lhe arrancassem gritos, um dos carcereiros observou-lhe: “Se tu te lamentas já dessa maneira, que será quando fores lançada às feras?”. “Hoje sou eu que sofro, respondeu a escrava; nesse dia, sofrerá por mim Aquele por quem eu sofro”. Deu à luz uma menina que foi adotada por uma mulher cristã.

Perpétua e Felicidade entraram alegremente no anfiteatro com os três companheiros. Envolveram-nas numa rede e entregaram-nas às arremetidas duma vaca furiosa. O povo cansou-se depressa de ver torturar as duas jovens mães, uma das quais ia perdendo o leite, e pediu que se acabasse com aquele espetáculo. Abraçaram-se então pela última vez. Felicidade recebeu o golpe de misericórdia impavidamente. Perpétua caiu nas mãos dum gladiador desastrado que falhou o golpe, “tendo-se visto ela própria na necessidade de dirigir contra o pescoço a mão trêmula do gladiador inexperiente”. Estes martírios deram-se na era de 203.

Santas Perpétua e Felicidade, rogai por nós!

23

maio

23 de Maio – São Juliano esposo fiel, amou a família e os necessitados

São Juliano, foi condenado e decapitado por não renunciar à fé em Cristo
22

maio

22 de Maio – Santa Rita de Cássia, conhecida como Santa dos Impossíveis

Santa Rita de Cássia, viveu os impossíveis de sua vida se refugiando no Senhor
21

maio

21 de Maio – Santo André Bóbola, dedicado aos jovens e a Palavra de Deus

Santo André Bóbola, pertenceu à Companhia de Jesus, dedicado aos jovens
20

maio

Papa afirma que é preciso renovar impulso missionário ad gentes

Francisco lembrou que este ano celebram-se os 100 anos da Carta Apostólica Maximum illud, sobre a responsabilidade missionária de anunciar o Evangelho
20

maio

20 de Maio – São Bernardino de Sena, homem zeloso

São Bernardino, liderou o movimento da observância em prol de uma vivência radical do carisma franciscano
13

maio

13 de Maio – Nossa Senhora de Fátima

Nossa Senhora de Fátima, graça e misericórdia
10

maio

10 de Maio – Santo Antonino

Bispo e Arcebispo de Florença
8

maio

08 de Maio – São Pedro de Tarantásia

Foi um homem pacificador